ARTE DAS LETRAS

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

PENSAMENTOS - LIBERDADE QUE NEM IMGINAMOS


PENSAMENTOS - CORRIGIR ERROS


by Didi Leite

POESIA - DE OLHAR PARA O CÉU -


DE OLHAR PARA O CÉU

Olho para o céu.
Vejo como as nuvens descrevem amores.
Nuvens claras em flocos agarradas,
nuvens esparsas que não se unem.

Há nuvens que tapam o sol
e tornam o dia sombrio.
Outras escuras e densas
prontas a se precipitarem
e molharem nossos rostos.

Um sopro de ar
e elas se vão,
umas lentas, outras ágeis
deslizam e somem,
como amores que voam do coração.

De repente céu azul,
do mais azul dos azuis que há.
Convite de liberdade!
Ninguém chora por uma nuvem
que  voa de norte ao sul.
Outras virão.
Assim é o amor,
um momento está,
outro mais não.
E a gente nem sabe como entrou
no céu do coração.
Não vale à pena chorar,
por um amor que não está,
as chuvas já molharam nossas faces.
Hoje o coração está azul!
Outras nuvens virão
Amanhã  olho para o céu!

by Didi Leite


PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA SUAVIDADE


by Didi Leite

PENSAMENTOS - A VIDA QUE NÃO REFRESCA


PENSAMENTOS - ABENÇOADA VIDA



POESIA - QUERIA SABER


QUERIA SABER

Tenho curiosidade de saber o que há
 há além desse portão,
além desse caminho,

além do seu olhar,
atrás das suas palavras e
dentro do seu coração.

Se possível  fosse  queria saber
o que você está pensando agora.
É muito querer e nada poder.
Melhor ficar só olhando e
em silêncio imaginando...


by Didi Leite

PENSAMENTOS - CADA DIA VIDA NOVA


PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA DA BONEQUINHA

Não sei se isso acontece com você, mas de uns tempos pra cá
tenho recebido "Bom Dia" de pessoas que passam por mim na rua. Pessoas que não conheço e nunca vi.  Eu respondo, porque sempre é uma mensagem positiva que alguém está me desejando.
São pessoas indistintamente novas, meia idade, idosos, homens,
mulheres e jovens.
O que será isso?  Será alguma campanha fraterna que não ouvi
falar?  Não sei.  Eu, sinceramente, não tenho coragem ainda de
cumprimentar com um "bom dia"  a quem não conheço....

Isso já aconteceu com você?

by Didi Leite

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA COM BOM HUMOR


by Didi Leite

POESIA - O MELHOR DENTRO DE NÓS


O MELHOR DENTRO DE NÓS

É devagar que a gente vai vivendo,
porque os dias parecem lentos...
Já dizem os nipônicos que começamos
a morrer ao nascer...
Pessimista?
Mas não é!
Realidade pura,
por isso vamos trazendo para nossas vidas
o melhor que a vida nos oferece,
o mais bonito de cada dia,
e buscar sem cessar a alegria...

Às vezes o melhor está mesmo é dentro de nós.

by Didi Leite

PENSAMENTOS - AMIGOS PARA SEMPRE



PENSAMENTOS - DAS ALEGRIAS QUE SE RENOVAM


POESIA - ALBATROZ - Recordando 28 de janeiro de 2014


        ALBATROZ  - (recordando 28 de janeiro de 2014)

Assim !
Plena visão de todas as alegrias !
Meu corpo voa,  plana,
Leve e solto sem reticências.
Lá vou por esse céu de brigadeiro,
Planando livre de pesares,
De medos e remorsos.

Com a alma azul,
Estou inoculada pela vida inteira
da mais fina festa que me proponho,
que se expande aquém e além
do que vivi e posso viver.
Quem chega  perto se contagia.

O som do mar me entrega espumas
brancas das ondas que vêm
e levam pretensas melodias.
Nas ondas que  se vão esticadas,
vagas que voltam com o deslumbre
do  mar de albatroz.

Me dou conta de que aqui já estou
conversando com este céu ¨ horizontino¨,
entregando para as ondas segredos silenciosos,
que me trazem a serenidade de nada dever
e nada ansioso  esperar.
É só o prazer que me pousa aqui,
de me saber alegre todos dias.
Alegria de viver
toda a suavidade do voo de um albatroz.

by Didi Leite



PÁGINAS SOLTAS - ANVERSÁRIO DO BLOG III


Dois anos de BLOG!
Eu fico feliz por ter conseguido manter  PALAVRA POR PALAVRAS todo esse tempo no ar.
Agradeço a todos que acompanham este Blog.

E vamos seguir em frente... rumo a 28 de janeiro de 2017.....

by Didi Leite

PÁGINAS SOLTAS - ANIVERSÁRIO DO BLOG PALAVRA POR PALAVRAS II

by Didi Leite

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

PÁGINAS SOLTAS - ANIVERSÁRIO DO BLOG PALAVRA POR PALAVRAS


by Didi Leite

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA DE VERÃO


by Didi LLeite

PENSAMENTOS - LARGAR DE MÃO


by Didi Leite

CONTOS QUE TE CONTO - MINICONTO - CHUVAS QUE FECHARAM O VERÃO


MINICONTO

                 CHUVAS QUE FECHARAM O VERÃO

O relógio da estação de trem marcava vinte e uma horas e dez minutos. Chovia de cachorro beber água em pé. Maria estava ensopada. Pegou toda aquela chuva a caminho da estação. Sentia seus sapatos como duas barcaças alagadas d´água.
Cabelos escorridos que pingavam no rosto, na roupa e no pescoço. Até das pontas das orelhas e do nariz pingava água. Um calor infernal, embora a chuva caísse forte. O ar estava abafado. Fim de verão. A gare estava quase vazia àquela hora. A moça escolheu um banco vazio para sentar-se. Não queria partilhar espaço, queria ficar sozinha. Não tinha a menor ideia a que horas o próximo trem chegaria para partir novamente. E assim, resignada pôs-se a esperar e pensar.
- Maria, que nome medíocre!  Nome de empregada mesmo. "Maria, faça isso. Maria, traga aquilo. Maria, guarde isso, lave, passe, dobre, limpe tudo". Quanta ordem recebia por dia!    E ainda tinha que morar lá onde Judas perdeu as botas. Tomar três conduções para chegar em casa. Casa! Sei disso. Um casebre mal ajambrado, pequeno e que por mais que limpasse parecia sempre sujo. Miséria de vida. Vida! Sei disso. Vida de cachorro! E ainda tinha que aturar o safado do marido. Marido! Sei disso. Um sujeito que não lhe dava nada, só trabalho. Era trabalhador,  mas ganhava pouco e se contentava com aquele tipo de vida. Nove anos de casada. Casada! Sei disso. Passaram a morar juntos com a promessa de se casarem, mas o tempo passou e se acomodaram na vida marital.
 Maria foi despertada dos seus pensamentos pelo apito do trem que chegava.
- Ufa! Enfim vou subir este subúrbio e chegar em casa.
A chuva deu uma estiada. Apenas o calor não arrefecia. Maria entrou no trem e sentou à janela. Gostava de ir olhando os lugares, e o pensamento deslizando como as rodas do trem sobre os trilhos. Sentiu cansaço, um sono inconveniente ia se apoderando de Maria. Quis firmar a vista. Fez força para se manter acordada. Em vão. Maria caiu no sono e cochilou. Maria cochilou duas vezes. Uma, dormindo e outra, quando lhe surrupiaram a bolsa, e nem sentiu. O trem apitou fim de linha. Maria acordou assustada e o vagão já estava vazio. Fez menção de levantar, mas sentiu que lhe faltava alguma coisa.  A bolsa.
 - Deus meu! Cadê a minha bolsa?!
 Ela logo entendeu o que lhe acontecera. Ficou desesperada e morta de ódio ao mesmo tempo. E agora? Sem sua bolsa, sem documentos e sem  dinheiro?!  Como ia pegar o ônibus circular que a levaria lá dentro do bairro? Ir a pé era um estirão. A mulher levantou-se e, por uma graça divina viu sua bolsa jogada a um canto do chão debaixo de um banco. Maria correu e puxou sua bolsa. Seus documentos estavam todos lá. Sua carteira de dinheiro também: vazia. Maria desceu da estação e foi andando até o ponto do ônibus circular. Não tinha cara de pedir dinheiro a ninguém. Resolveu ir andando a pé. Foi. Andou, andou. Viu o ônibus passar, e continuou andando. Já estava chegando em casa, viu sua casa acesa. Foi entrando, e o marido não estava lá. Maria estranhou.
- O Joel chegou e saiu deixando a luz acesa?!
Ela percorreu os três cômodos olhando se havia sinal do marido. Nada. Saiu pela porta da cozinha e foi olhar no banheiro. Ninguém. A mulher voltou para dentro de casa. Resolveu ir na casa da vizinha, a Sirlene, para saber se ela havia visto Joel.  Quando foi se aproximando da janela do quarto de Sirlene ouviu uns gritinhos e umas risadas. Ficou sem jeito de interromper fosse lá o que estivesse havendo e já ia voltar para casa quando ouviu a voz de Joel dizendo:
- Sirlene, minha abóbora moranga, vem cá com seu lobo!
- O quê?! Roubada duas vezes na mesma noite?!  Mas não mesmo! Sai da frente que vou com tudo, seus cachorros sem vergonha!
Maria foi tomada de uma ira que a fez virar uma leoa. Escândalo geral. Foi pedaço de abóbora pra todo lado e uivo de lobo que até da esquina se ouvia.
                                     FIM

by Didi Leite

POESIA - DA NASCENTE ATÉ A FOZ - RENOVAÇÃO


DA NASCENTE ATÉ FOZ - RENOVAÇÃO

Se o dia de ontem não foi bom,
sossega o seu coração,
hoje não é ontem
e as coisas não se repetem,
mudam, transfiguram
e escampam.

Se pisarmos nas águas de um rio hoje,
será a primeira e última vez,
amanhã já será outro rio,
porque as águas   correm

e já vão  longe pro mar.... 

by Didi Leite

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

POESIA ALHEIA - CAIO FERNANDO ABREU


Quer saber, abraça o que é teu.
Abraça o que te faz bem.
Abraça o que te faz feliz!
Caio Fernando Abreu

PENSAMENTOS - SONHOS DE UMA NOITE DE VERÃO - SHAKESPEARE


POESIA - A BAILARINA - POESIA INFANTIL DE CECÍLIA MEIRELES


A bailarina

                                                        Cecília Meireles
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá.
—–
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
—-
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
—-
Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.
—-
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
—-
Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA COM O MILAGRE DA VIDA


by Didi Leite

POESIA - DE SEMPRE


DE SEMPRE

Todo dia há sol no horizonte,
mesmo encoberto.

Todo tempo água brota na fonte,
mesmo num fiozinho de nada.

Toda hora alguém vai embora,
mesmo que de repente.

Todo tempo há uma lágrima nos olhos,
embora não role na face.

Em algum lugar alguém sofre uma saudade,
essa só com o tempo esmorece.

De tudo temos sempre
e sempre pode não ser pra sempre,

nem a gente.

by Didi Leite

PENSAMENTOS - DE FÉ


PENSAMENTOS - A BELEZA


by Didi Leite

POESIA - DE PAVIMENTAR A VIDA


DE PAVIMENTAR A VIDA

Bom a gente ir preparando
os caminhos dos que vêm.
Pavimentando os caminhos
com amor, ternura e compreensão.
A vida dura pouco,

num relance, 
como sonhos no coração.

by Didi Leite

POESIA NA MPB - ESPELHO DAGUA


domingo, 24 de janeiro de 2016

PENSAMENTOS - DE BOA VONTADE


PÁGINAS SOLTAS -BOM DIA AMENO


by Didi Leite

PENSAMENTOS - ZOOLÓGICO



A DECADÊNCIA DO ZOO DO RIO DE JANEIRO

E eu fico me perguntando pra que existem jardim zoológico e pássaros em gaiolas?
Por que os bichos têm que ficar em exposição para o bicho homem ver....
Por que os pássaros têm que ficar em gaiolas para o bicho homem ouvir seu canto?
Penso ser isso de uma crueldade sem fim...
Quanta imbecilidade, quanta idiotice....
Imaginem a gente numa grande jaula com água e comida, sem espaço para correr, preparar nosso alimento  acasalar, etc....  Endoidava, não?
Quando será o dia em que não haverá mais animais presos para divertirem o homem?

by Didi Leite


POESIA - PERDER UM SONHO


POESIA - AMOR VENCIDO


                   AMOR VENCIDO

Meu amor, quero dizer-lhe que o prazo de validade
do nosso amor acabou.
Foi bom, valeu, mas não durou.
Depois da validade resta recordar.
Se quisermos!
Sentimentos novos insistem em vigorar.

Foi uma caminhada onde não notamos o tempo,
nos distraímos de nós.
Vivemos uma vida morna, insossa e repetida.
Sem mais emoções.
Nos acostumamos um ao outro.
Viramos parentes,
móveis e utensílios de nos mesmos.
Não há lágrimas!
Lamentar apenas o tempo e o fracasso.

Sobrevivemos!
Cada um com novas chances,
novos amores,
novas validades.
Recomeçar!

by Didi Leite




PENSAMENTOS - DE MACHADO DE ASSIS EM TRÊS TEMPOS


As feridas da alma são curadas com carinho, atenção e paz. 

Machado de Assis


Eu gosto de olhos que sorriem, de gestos que se desculpam, de toques que sabem conversar e de silêncios que se declaram.
 
Machado de Assis

Por que sinto falta de você? Por que esta saudade? Eu não te vejo mas imagino suas expressões, sua voz teu cheiro... 

Machado de Assis

sábado, 23 de janeiro de 2016

POESIA NA MPB - É O AMOR - fragmento do poesia


Você é minha doce amada 
Minha alegria 
Meu conto de fada 
Minha fantasia 
A paz que eu preciso pra sobreviver 

Eu sou o seu apaixonado de alma transparente 
Um louco alucinado meio inconsequente 
Um caso complicado de se entender...

Música: É O AMOR (fragmento da poesia)
Autor: Zeze di Camargo

PENSAMENTOS - GENTILEZA


PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA AMOR


by Didi Leite