ARTE DAS LETRAS

sexta-feira, 31 de julho de 2015

POESIA - OURO AZUL (poesia na íntegra)


               OURO  AZUL
Oh!  A Terra é azul!
Um dia disse Gagarin.
O mar azul é
E o céu também.
A safira do mais lindo tom
de azul brilha entre outras gemas.
Azul era o olhar do poeta,
E da avozinha Anna também.

E a lua azul?
Mas a lua é cinza prata!
Duas luas cheias no mesmo mês,
É mês de lua azul!
A ararinha tão miúda,
Tão caçada, quase em extinção,
É azul !
- Ararinha azul num voo agoniado
de quem foge grasnando seu temor -
As borboletas brincam de se vestir
De azul, até fluorescente.
Azul é o ovinho da canarinha
À época do acasalamento.
Que delicadeza!
Quem já viu esses ovinhos no ninho?

O azul se mostra em tantos azuis,
Azul marinho,
Azul lazuli,
Azul turquesa.
Azul celeste,      
Azul anil,
Azul claro,
Azul escuro,
E os tons vão se graduando,
Degradando e novas nuances
nascendo, uma infinidade
se mesclando sob o beijo
Do sol, nas flores, nas águas
Cristalinas das grutas submersas!
Na palheta do pintor
Lá estão o azul da Prússia,
O azul ultramarino,
Azul cobalto.


Como vai? Como tudo está?
Alguém responde: tudo azul!
Se as coisas não mudam
E a sorte no amor não vem,
Vista azul e a sorte pode mudar.
Você passa a ter uma aura amorosa.
E a amor se lhe sorri.
O amor é azul!

O manto da Virgem azul é,
E suas filhas levavam uma
Faixa azul em volta da cintura.
Azul e branco são as cores
Que a virgem sempre
Aparece às meninas piedosas,
E as criancinhas puras também!
Mãezinha do céu, azul é seu manto
E branco é céu véu.
Assim, a senhora me espera no céu!

Lá no meio do  arco Iris
Está o azul entre o ciano e o magenta,
É um mimo que a natureza
Dá para surpreender por minutos
Os olhos da gente que se abrem
Em sorriso de encanto.
A alma sensível não resiste ao seu deslumbre.
E aponta declarando: - olhe lá um arco Iris, que lindo!


Azul é cor que cai na alma
Como um cálido abraço
Que acalma e conforta.
Azul encanta!
Azul dança aos olhos
De quem tem olhos para ver
esta cor tão majestosa,
e sempre, sempre graciosa.
O azul combina com tudo,
dizem os ¨expert¨ em moda.

Quantas flores de azul se vestem,
As glicínias,  as hortênsias,
E algumas violetas.
Sem  contar as que vicejam
nos campos, anônimas,
espontâneas e silenciosas.
O dia lhes resplandecem.
A noite as vestem e as adormecem
Para que ao raiar do senhor rei
Elas despertem e ofereçam
Toda a beleza do seu tom.
Tímidas, miudinhas e serenas.
Quem as coloriu assim?
Quem as plantou ali?
Conformadas passam a vida
Nos campos sem serem notadas,
Sem serem festejadas.
E quase nunca colhidas.

O azul é tão belo e tão apaziguante,
Que os floristas já tingem suas flores
De azul!
Hoje, já se pode escolher uma rosa,
Um gerânio e até uma margarida azul!
O que não se faz sinteticamente?
Tudo, se é para agradar e encantar...

Há um colóquio mudo
Do sol, com a flores e os pássaros.
O que conversarão?
Será que comparam suas cores azuis?
Ninguém sabe, porque não se  ouve,
Nem se entende tal linguagem.
Certamente, os pássaros
cantarão as belezas que podem ver,
do azul celeste ao azul marinho
em seus voos livres.
Exaltarão os abraços e beijos
calientes do astro da vida,
da luz e energia, que dele depende
suas vidas.
Que dirão às flores estes seres emplumados?
Chegam perto, abordam suavemente cada
Uma delas e gorjeiam: - vim de beijar e sugar
O teu doce, que só você tem e pode me dar.
E elas sorriem orgulhosas suspirando:
Doce sou eu, no meu néctar de mil cores,
Salpicado de azul, 
E me visto assim para lhe atrair!


Como deixar aquele pássaro
Encantado, mudo, mas de beleza
Sem igual, fora desse exaltar?
Privilégio do Criador:
O Beija-Flor!
Ele é um toque de magia
E prova da grandiosidade
Dessa que nos abriga: natureza.
Azul  declarado, azul disfarçado,
Azul mesclado, mas sempre alguma
Plumagem azulada tem no minúsculo corpinho.
Paradinho batendo asinhas em conversas,
De segredinhos com uma flor!


 Num despontar repentino,
Cheio de garbo e vaidade,
Porque se sabe belo,
O pavão azul!
Que esplendor sua calda leque
que exibe cores,
Mas de todas quem impera,
O azul de tonalidade
Indescritível!

Podemos içar voo ao imenso do céu,
Planar pelas matas, jardins e quintais,
Mergulhar em rios, grutas aquíferas,
Eis aí o ouro azul!
A água é a mais nova riqueza
Por quem  um dia se lutará: - ouro azul -
Até às profundezas dos mares,
Estaremos atravessando, esbarrando,
Nos impregnado dos mais belos azuis.
E se pudéssemos ao paraíso chegar
Lá entraríamos na imensidão da fonte
De todo o azul.
Será que os anjos e Deus vivem no
Mais completo azul?


Haverá, ainda, outro tom de azul
Que não nos foi dado conhecer,
E que algum dia teremos a graça de saber?
Por agora, basta saber que
temos muitos tons de azul
Ao nosso dispor.
A Terra, nosso ninho, é azul!

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

  
    

     











              

                                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário