ARTE DAS LETRAS

terça-feira, 28 de julho de 2015

PÁGINAS SOLTAS - CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE - LIMITES


                    CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE
                                  NO LIMITE

Ontem, foi noticiado: "cliente de uma operadora de telefonia, num dia de fúria, quebra as vitrines da loja  porque não consegue cancelar seu contrato com a tal operadora."
Não, ele não estava num dia de fúria, ele teve seu limite máximo de paciência ultrapassado, pelas dificuldades impostas pela operadora.
Aqui, abrem-se duas vertentes. A primeira é sobre a prestação de serviços de Telefonia, TV a cabo, Internet, Bancos, Seguradoras de Planos de Saúde, etc...etc... É um desconforto tratar qualquer coisa relacionada a correção ou cancelamento. Às vezes, só no PROCON se consegue resolver.
A outra vertente é o limite de cada um. Todo mundo tem seu limite para tudo, o que pode variar de pessoa para pessoa é o grau, o tamanho desse limite. Uns são dotados de uma paciência enorme, outros essa paciência logo chega no limite máximo.
Limite, ou ponto ótimo,  quando ultrapassado, faz a pessoa perder total domínio, momentaneamente, da faculdade de raciocinar, de ponderar e medir consequências. É quando se perde a cabeça, enfia-se os pés pelas mãos e se entra em rota de colisão.
No caso em questão, as consequências para a operadora são danosas para a imagem e confiabilidade da marca. Para o homem também é danosa, porque ele terá certamente que responder a processo por danos materiais e pagar os estragos cometidos.   
É bom lembrar que não é só em contendas que podemos atingir nossos limites. Temos limites para tudo, nosso organismo vai até onde aguenta, passando dos limites é pane, é falência.
Se pararmos para pensar direitinho veremos que tudo, absolutamente tudo na vida tem limite. A natureza tem seu limite.  Nada nem ninguém vai além do suportável, nem uma máquina.

Até nossa vida tem limite, que só Deus sabe qual é, mas tem limite. 

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google 

Nenhum comentário:

Postar um comentário