ARTE DAS LETRAS

terça-feira, 30 de junho de 2015

PENSAMENTOS - De Sonnhos - Virginia Woolf

Virginia Woolf foi uma grande escritora inglesa, nascida em janeiro de 1882 e falecida em março de 1941. Deixou inúmeras obras literárias.



by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOA NOITE COM LUZ DE JESUS


by Didi Leite

Ilustração por composição de transparência de Imagens by Didi Leite
Imagens Google

POESIA - CORAÇÃO ENLUARADO


CORAÇÃO ENLUARADO

Meu coração está
enluarado crescente,
companheiro das estrelas,
solitário sobre as copas das  árvores,
viajante solitário de noite fria,
silencioso como sono dos cansados,
prata como os cabelos dos anciãos,
e repleto de saudades.

É  saudade de tantas coisas!
Tanta gente que se foi um dia.
Saudade causa uma agonia!
Meu coração está enluarado crescente,
cheio de vontade
de ouvir uma triste melodia...

Saudade é assim
vai mexer no que está quieto latente,
ela nos assalta de repente.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google




POESIA NA MPB - OCEANO - DJAVAN

Música: OCEANO
Autor e Gravação: Djavan

Ilustração composição por transparência de imagens by Didi Leite

Imagens Google

PÁGINAS SOLTAS - CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE



by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PENSAMENTOS - DE TEMPO - W. Shakespeare


Ilustração Imagem Google

PENSAMENTOS - DE FELICIDADE

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

POESIA - A CIRANDA DO TEMPO E DOS RELÓGIOS


     A CIRANDA DO TEMPO E DOS RELÓGIOS
                    
Um relógio marca a passagem do tempo.
Mas o tempo passa vindo da onde?
Ignora-se.
O tempo não existe.
Ele é fruto da necessidade humana
de contar, registrar,
buscar  se orientar.
De uma nasceu outra.
Como marcar e orientar-se?
Criou-se o relógio.
Vários.
Da ampulheta ao relógio atômico.

O homem não se satisfez
Com o que a natureza lhe deu,
uma sequência natural
de alternância de claro escuro,
- dia e noite -.

Na antiguidade e hoje
no campo, o homem da lida
sabe que o sol a pique
sobre sua cabeça lhe dá a metade do dia.
Lua e estrelas:  Noite inteira.
O clarão na barra do horizonte:
Aurora! O dia começa!
O mergulho do sol no oeste:
Ocaso! Fim do dia!
Sete luas conta de índio.
Sete dias:  Uma semana.
E ainda as quatro estações,
que demarcam o tempo de um ano.


Mas o mundo moderno precisa contar!
Marcar, desmarcar e datar:
Negócios, dinheiro!

Os relógios marcam tudo.
A hora de nascer,
a de morrer,
a hora da escola,
do brincar,
do trabalhar,
de comer,
do lazer,
de dormir,
do assalto,
do crime,
da higiene,
de namorar,
de amar,
e até de desamar!
Dos encontros e desencontros,
dos duelos e confrontos,
tudo se faz com o tempo marcado,
na hora pré determinada.

Como seria a vida sem hora,
sem relógios, sem data,
sem nada marcado?
Como foi, por que assim um dia foi?!
Livre!


 O homem seria livre!
Sem tempo, sem relógio,
entra em cena o acaso.
Será o acaso um atalho
disfarçado do tempo?

Todos somos escravos do tempo,
tempo que inventamos.
O tempo serve de mote
para histórias e para contar a história.
Mas fora do tempo objetivo
e dos relógios objetos,
há o tempo subjetivo.
Tempo de relógios figurativos!
O catalão surrealista com
relógios moles bem os mostrou.
Dizem os poetas populares:
O tempo não para!
Quem sabe faz a hora!
E o escritor: A hora e a vez...
Os ditos populares:
A hora da onça beber água,
na hora H,
o balanço das horas,
à parturiente, que tenha uma boa hora!
Quem finge que trabalha, faz hora!
Ao moribundo, sua hora chegou!
A hora é agora ou nunca!
O tempo e o relógio se integraram para sempre à vida!

Não foi em dado momento
que houve o início de tudo?
- Big Bang –
Aí, não se precisa o tempo,
mas já se pensa nele,
porque momento é outro nome do tempo.

estamos cercados de relógios,
no pulso, no bolso, nas paredes,
na cabeceira da cama, nas torres dos edifícios,
nas gares das estações, nos saguões dos aeroportos,
nos terminais dos ônibus,
nas lojas, nas escolas, nas igrejas,
nos televisores, nos vídeos,
nas câmeras, nos rádios,
nos carros e nos celulares!
E até no nosso corpo,
pois vemos nos espelhos a
ação do tempo a nos desgastar.


Eles convivem com a gente,
a gente integrado com eles,
e já não saberíamos
sem eles vivermos.
De todos os tipos,
de todas as formas,
de todos os tamanhos.
A qualquer hora, todas as horas,
há um relógio a nos espiar,
ou a se mostrar para os
espiarmos!

Que horas são?
Que horas foi isso?
Que horas será isso?

E das horas chega-se às datas!
Pronto ! Entramos no compasso da marcação total!
Marcação do tempo pelas datas.
Via de mão dupla.
Quando  nasceu?
Quantos anos já se passaram?
Quando  morreu?
Quantos meses tem o bebê?
Quando começou a falar?
Quantos dias faltam para a viagem?
Quando vão voltar?

E assim aonde vamos chegar? 
Dentro desta ciranda de relógios,
De datas, dias e horas?
E nem falamos dos minutos!
sequer dos segundos...
Que dirá do fim do mundo!
Porque ele, certamente, vai acabar,
quando um dia o sol se apagar.
Aí, não haverá mais tempo para contar,
porque ninguém mais aqui estará!  

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


 






ESPAÇO MPB - Oração ao Tempo - Caetano Veloso

                   

Música: ORAÇÃO AO TEMPO
Autor e gravação:  CAETANO VELOSO

Fonte:  YOUTUBE

PÁGINAS SOLTAS - TERÇA-FEIRA RADIANTE


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA FECHANDO MÊS DE JUNHO


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

segunda-feira, 29 de junho de 2015

PÁGINAS SOLTAS - ESPAÇO MÚSICA - CONSAGRAÇÃO A N.SENHORA


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PENSAMENTOS - DE INFÂNCIA - Lya Luft


by Didi Leite
Ilustração Imagem Google

POESIA - NA SELA DA IMAGINAÇÃO


NA SELA DA IMAGINAÇÃO
Tenho medo de aranha.
Mas não me furto a admirar
que tecedeira primorosa!
Faz rendilhas como ninguém!
Não sou aranha, sou catadora,
apreciadora e sonhadora.
Cato folhinhas de outono,
pedras diminutas coloridas dos caminhos.
Aprecio as  joaninhas
nos talos dos galhos paradas,
será que cochilam?
Sonho com bonequinhos de barro
moldados e chapados com as mãos.
Pra cada coisa nasce uma ideia,
uma invenção.
Correndo na frente de tudo isso,
 vai na sela da imaginação,
a criança que não cresceu, não.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google



PÁGINAS SOLTAS - BOA NOITE COM CARINHO E PAZ


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

POESIA NA MPB - FELICIDADE - LUPICÍNIO RODRIGUES

Música: FELICIDADE
Autor: Lupicínio Rodrigues
Gravação Caetano Veloso



by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOA NOITE


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE


CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE Texto na íntegra)

Hoje, constatei que a inflação, quase  chegando a dois dígitos, já está fazendo eco. Supermercado vazio numa época de final de mês, onde antes já ficavam cheios com carrinhos de compras atulhados, lembrando a pedra do Pão de Açúcar.  Sinal dos Tempos. Dinheiro curto, preços altos, compras escassas.

Agora, a juventude vai saber e sentir como vivíamos na década de oitenta.

Quem tem seu emprego que o conserve, porque as empresas vão cortar gastos, e começam cortando na folha de pagamento.

Também vi horrorizada que um remédio do mesmo laboratório e mesma dosagem  variava de preço em até três vezes em farmácias do mesmo bairro. Inacreditável que esse tempo esteja voltando!

Como estará isso no próximo ano, pois especialistas em economia anunciam que vai piorar.

E fico pensando, nesta hora lenta e silenciosa de fim de tarde, que tudo é passível de se repetir na vida.  Parece-me que os fatos e acontecimentos são cíclicos, vão e vêm. Nunca exatamente igual, porque mudam os personagens, mas as causas e os efeitos sim.

Seríamos nós também cíclicos?  De certa forma sim, porque repetimos atos por causa de fatos que se repetem.

Nas questões sentimentais muitas pessoas são cíclicas, pois vivem o mesmo tipo de relacionamento amoroso, já sabendo a que fim chegará, mas repetem.

Até a natureza é cíclica, a noite já vem chegando de novo!

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

GOTAS DE POESIA - VONTADES


by Didi Leite
Ilustração Imagem Google

POESIA NA MPB - SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ - TOM E VINICIUS


Música: SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ
Autores: Tom Jobim e Vinicius de Moraes
Gravação: Nana Caymmi

by Didi Leite

Ilustração ImagemGoogle

PENSAMENTOS - TEM DIA - Padre Fábio de Melo


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

POESIA - HABILIDADES


HABILIDADES

Não consegui aprender a fazer
tricô,
crochê,
nem bordar.
Mas teci histórias,
catei folhas, flores
e até frutas no pé.
Peguei caracol
e apreciei vaga-lumes
nas noites de verão.
Minhas habilidades de menina
não estavam nas mãos,
elas nasciam dentro do coração.
E é daqui que me ponho
a relembrar e cantá-las.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Skank - Balada do amor inabalável

PENSAMENTOS - DE HARMONIA E PAZ

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA SENDO BENFEITORES


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

domingo, 28 de junho de 2015

PÁGINAS SOLTAS - De Perseverança


by Didi Leite

PÁGINAS SOLTAS - BOA NOITE DE ANJOS


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - FAZER O BEM


Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - CONSIDERAÇÕES DE FM DE TARDE


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINS SOLTAS - AO MESTRE COM CARINHO - GUIMARÃES ROSA


AO MESTRE, GUIMARÃES ROSA, COM CARINHO:







JOÃO GUIMARÃES ROSA o nosso maior escritor moderno. Nasceu em Cordisburgo, Minas Gerais, em 27 de junho de 1908 e morreu em 17 de novembro de 1967 no Rio de Janeiro. 

Rosa recriou a linguagem do romance moderno, sua prosa é pura poesia, é o nosso genuíno Brasil. 

Ler Guimarães Rosa é exercício de aprender  a poesia da prosa. Pra sempre Guimarães Rosa! Ele como mesmo disse, não morreu, encantou-se.

by Didi Leite 

ESPAÇO MPB - Zeca Pagodinho - Verdade

                   

MÚSICA:  VERDADE
Autores: Nelson Rufino e Carlinhos Santana
Gravação: ZECA PAGODINHO

FONTE: youtube 

POESIA NA MPB - PARALELAS - BELCHIOR


Ilustração Imagem Google

PENSAMENTO - De Sempre Fazer melhor

Ilustração Imagem Google

POESIA - AMOR VENCIDO


                   AMOR VENCIDO

Meu amor, quero dizer-lhe que o prazo de validade
do nosso amor acabou.
Foi bom, valeu, mas não durou.
Depois da validade resta recordar.
Se quisermos!
Sentimentos novos insistem em vigorar.
Foi uma caminhada onde não notamos o tempo,
nos distraímos de nós.
Vivemos uma vida morna, insossa e repetida.
Sem mais emoções.
Nos acostumamos um ao outro.
Viramos parentes,
móveis e utensílios de nos mesmos.
Não há lágrimas!
Lamentar apenas o tempo e o fracasso.
Sobrevivemos!
Cada um com novas chances,
novos amores,
novas validades.

Recomeçar!

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PENSAMENTOS - De plantar e Colher


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - DOMINGO ABEÇOADO


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOM DIA COM GRAÇA E LOUVOR


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

sábado, 27 de junho de 2015

GOTAS DE POESIA - PEDACINHOS DE CORAÇÃO


Ilustração Imagem Google

GOTAS DE POESIA -A MULHER E O MAR


by Didi Leite

Ilustração composição de transparência de imagem e foto by Didi Leite

Foto Etiene Gibson
Imagem Google

POESIA NA MPB - TODO AZUL DO MAR - FLÁVIO VENTURINI


Música:  TODO AZUL DO MAR
Autores: RONALDO BASTOS E FLAVIO VENTURINI
Gravação: Flávio Venturini

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - BOA NOITE COM LUZ DA LUA


by Didi Leite

Ilustração Imagem Google 

PENSAMENTOS - De Exclusividade


  Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - CONSIDERAÇÕES DE FIM DE TARDE - VELHOS TEMPOS

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google