ARTE DAS LETRAS

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

POESIA - DE MÃOS EM MÃOS




DE MÃOS EM MÃOS

Espalmo minhas mãos
ao ar do dia que começa.
Em cada dedo vejo que
do mindinho salta carinho;
do seu vizinho, compreensão;
do pai-de-todos, paz;
do fura-bolo, amor
e do mata-piolho razão.
Isso passa da direita pra esquerda,
com ternura e meiguice.
Também passa da minha

para quem aceitar meu aperto de mão! 

by Didileite
Ilustração Imagem Google 

POESIA NA MPB - LINDO BALÃO AZUL



Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - SÁBIOS


Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - O QUE INCOMODA



Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - Aniversário do Poeta - Carlos Drummond de Andrade


Se vivo fosse, hoje, Carlos Drummond de Andrade estaria
completando 112 anos. Nascido em 31 de outubro de 1902,
ele é um dos grandes poetas da língua portuguesa no Brasil.

A êle toda a minha homenagem e saudades!

by Didileite
Ilustração Imagens Google

PÁGINAS SOLTAS - O Milagre da Vida


by Didileite
Ilustração Imagem Goolge

CONTOS QUE TE CONTO - UMA VELHA CANÇÃO



CONTO
                             UMA VELHA CANÇÃO

                                                  4a. Parte

                                                  ....continuação

  Tem uma coisa importante: o traje é esporte.  Nada de terno e gravata!
- Está bem!  Eu vou!  Mas onde é esse restaurante?
- Não sei. Depois de tudo organizado, a Clarinha vai mandar o endereço certinho. Bom que você aceitou, que você vai!
- Até sexta-feira, Gustavo, você conseguiu!
Ronaldo resolveu comprar uma camisa nova para o jantar. Como já dissera sua mulher, suas camisas já estavam muito batidas.  Na hora do almoço, lá foi ele à rua procurar um uma camisa esporte.  Tinha que ter alguma coisa verde, lembrou que Vanessa gostava de verde.  Achou uma camisa muito cara de malha fria, creme com três listras verdes até a altura do peito, o resto era toda creme. Enquanto esperava ouviu da loja de discos em frente a música ¨deles¨, pura coincidência.
Tão bom encontrar com você
Sem ter hora marcada
Te falar de amor bem baixinho
Quando é madrugada...

Tão bom é poder despertar
Em você fantasias
Te envolver, te acender
Te ligar, te fazer companhia...
Leva
O meu som contigo, leva...


      
            
Estava pensando, por que tinha que tocar aquela música, justo naquela hora?!  O vendedor cortou seu pensamento entregando-lhe o pacote com sua compra.

Chegou a sexta-feira, o dia do jantar. Ronaldo foi do trabalho  direto para casa. Eram dezoito horas e o encontro era às vinte horas, lá no restaurante.  Depois de estar pronto, olhou-se no espelho e achou que estava apresentável.  A mulher  disse-lhe que estava um  ¨gato¨.  Ronaldo riu.  Ele era um homem bonito. Foi um rapaz muito bonito, de chamar a atenção, agora, mais maduro, estava lindo. Cabelos querendo ficar grisalhos nas têmporas, era alto, um metro e oitenta e sete, olhos esverdeados, pele do rosto muito boa, dentes certinhos e um ar afável. Todos gostavam dele, ele tinha carisma, era simpático com todos naturalmente.
 Chegou ao restaurante e, lá, encontrou Gustavo, Clara, alguns colegas. Foi aquele abraço de reencontro. Logo, chegaram mais colegas e o professor Moura. Foi uma festa que fizeram ao bom e velho professor.  Finalmente, chegou a figura principal: Vanessa !   Ela estava linda, usava um vestido amarelo ouro queimado, pouca maquiagem, uma gargantilha fininha de pedrinhas verdes e um sorriso encantador. Todos a abraçaram, e ela sorridente, falava o nome de todos. Quando chegou a vez de Ronaldo, ela deu-lhe um abraço muito apertado, dizendo:
- Até que enfim você veio!  Na minha despedida esperei por você a noite toda, mas você não foi. Saudades! Senti muitas saudades de você.  Mas agora posso matar minhas saudades!
- É bom vê-la assim tão bem disposta, tão bonita. Que  bom que você voltou!
Clara interrompeu a conversa e convidou a todos para um brinde em homenagem a Vanessa.  E o jantar começou a ser servido.

                                                      continuar....
by Didileite
Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - Pensar Leve


by Didileite
Ilustração Imagem Google

POESIA - ALVORADA



      ALVORADA

Desculpe-me, poeta, mas cantos de galos,
Daqui, dali e de acolá, sozinhos não tecem uma manhã.
É necessário mais que isso,
Que na barra do horizonte
O rei se levante,
Disco fumegante amarelo rosado acenda o dia.


Que o frescor e a névoa do fim de madrugada se dissipem
Por entre vales e montes.

Que pássaros comecem seus pios e chilreios, esvoaçando
De seus ninhos em busca de alimento para seus filhotes
Famintos  que piam tremulantes,

Que as flores comecem a abrir suas pétalas,
Como sorriso infantil,

Que pés desnudos trilhem o caminho para a labuta,
Que o aroma do pão quentinho invada
As cercanias dos fornos ardentes,

Que o delicioso cheiro de café se espalhe pelas janelas
 Das cozinhas e perfume o ambiente familiar,

Que bebês chorem famintos por seus leitinhos,
Que a criançada, uma a uma, vá surgindo no terreiro,
Travessas como cabritinhas maluquinhas.

Que florzinhas do campo vicejantes, rasteiras sintam
O toque suave das abelhas sugando seu néctar.


Tudo isso orquestrado
 por uma sinfonia de galos,
se alternando como
tecelões de cantos mil
anunciando a manhã.
Pronto,  raiou o dia!
Teceu-se a manhã!

by Didileite
Ilustração Imagem Google



POESIA NA MPB - RESPOSTA AO TEMPO - Nana Caymmi


MÚSICA: Resposta ao Tempo
Autores: Aldir Blanc e Cristovão Bastos
Gravação: Nana Caymmi

Ilustração Imagem Google

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

PÁGINAS SOLTAS - RECUAR NUNCA




ILUSTRAÇÃO IMAGEM GOOGLE

ESPAÇO MPB - É ISSO AÍ - Ana Carolina e seu Jorge

                      


É ISSO AÍ

Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar


Versão de Ana Carolina da música the blowers doughter" de "Damien Rice" .

Fonte Youtube

POESIA NA MPB - ROSA


Músisca: Rosa Morena
Autor: Dorival Caymmi
Gravação: Elis Reginas

Ilustação Imagem Google 

PAGINAS SOLTAS - JOGO DO FUTURO

by Didileite
Ilustração Imagem Google 

PENSAMENTO - Luis Fernando Veríssimo








Ilustração Imagem Google

CONTOS QUE TE CONTO - UMA VELHA CANÇÃO - 3a.Parte


CONTO
                        UMA VELHA CANÇÃO

                                            3a.Parte

                                                     ....continuação

- Hoje, não estou com vontade de sair para jantar.
A mulher, Luciana, propôs pedirem pizza e comerem em casa. O filho, Vicente, riu da mãe:
- Mãe, você faz ginástica à tarde e come pizza à noite?
- Não faço ginástica para emagrecer.  Não estou gorda. A ginástica é para manter a elasticidade do corpo, evitar ficar ¨enferrujada¨, viu gracinha?! 
- Pois que venha a pizza! Qual sabor vocês dois vão querer?
O pai disse que não tinha preferência.  Mãe e filho que escolhessem.  Vicente convidou os pais para assistir a um bom filme que ele trouxe:
- Vocês querem ver  Retorno a  Howards End? É com uma boa atriz, Vanessa Redgrave.
A mãe disse que não queria ver filme.  Ronaldo tomou um susto ao ouvir o nome da atriz.  Mas disse que, também, não queria ver filme naquela noite. O pai levantou-se e disse:
- Bem, vocês escolham o sabor da pizza, melhor pedir duas, eu vou tomar banho num instante.  Luciana  reclamou com o marido: - Ronaldo, você ainda não tomou banho e chegou cedo?!  Não demore, eu cheguei da ginástica e estou louca por um banho.

O telefone celular de Ronaldo tocou.  Ele estava no escritório, atendeu, e era Gustavo:
- Oi, amigão!  Tudo certo contigo, Ronaldo?
- Tudo!  O que você manda, Gustavo?
- A Clara me ligou. Está querendo reunir o pessoal do tempo de faculdade para um jantar.
- Ah! Gustavo, eu não vou nesse jantar.  Estou fora!
- Calminha aí!  Não é um jantar qualquer.  É um jantar de boas vindas à Vanessa.  A Vanessinha chega sábado dos ¨states¨ e está voltando para ficar!  Aí, a Clara resolveu fazer esse jantar de boas vindas. Vai ser na sexta-feira que vem. Ela conseguiu, até, falar com o professor Moura, lembra do Moura ?  Pois ele aceitou e vai.  Ela já conseguiu localizar vários colegas da época, todos aceitaram. Você nem diz que não vai, a Clara não vai aceitar!
- Gustavo, eu não quero ir.  Isso é chato. Eu não fui na festa de despedida dela.  Agora, vou a um jantar de boas vindas?
- Ronaldo, sem essa.  Você vai sim! Cara, hoje é outra coisa. A Vanessa está voltando para o Brasil. E vai tratando de dar um jeito de arrumar seu ¨alvará¨, porque é um jantar sem acompanhante. Eu já falei para a Paula que vou jantar com uns ¨chairmen¨  que estão aqui no Brasil.  Ah!  E tem outra coisa, isso vai custar quatrocentos reais para cada um. Porque a Vanessa e o professor Moura não pagam.  A Clara disse que com esse dinheiro, podemos fazer um jantar com dois tipos de entrada, dois vinhos e sei lá mais o quê. Cara, vai ser super legal !  O restaurante que ela reservou fica em Ipanema. Ela disse que vai ter música e podemos até dançar.  O lugar tem uma pista de dança. Então?  Você vai, não é?
- Gustavo, vou ver e depois...
- Ronaldo, não tem depois.  Vai tratando de fazer um cheque de quatrocentos, cruza o cheque. Depois ela manda um boy  aí no seu escritório pegar.  Tem uma coisa importante: o traje é esporte.  Nada de terno e gravata!

- Está bem!  Eu vou!  Mas onde é esse restaurante?
                                                           continua.....

by Didileite
Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS -



by Didileite
Ilustração Imagem Google

PAGINAS SOLTAS - Amanhã tem Solução

 by Didileite
Ilustração Imagem Google

POESIA - DE SER O QUE SONHAR



DE SER O QUE SONHAR

Se  não posso ser,
posso sonhar.
Sonho que sou princesa.
Meu Castelo tem jardins
e um riacho que passa nas cercanias.
Enquanto espero por meu príncipe,
sento-me entre flores e ouço pássaros
em belas cantorias.
Admiro as buganvílias
e hibiscos amarelos

que me enchem de luz todo os dias.

by Didileite
Ilustração Imagem Google 

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

ESPAÇO MPB - LEVA - Tim Maia -

           

Para os românticos de plantão. Vídeo está uma delícia.





                      

by Didileite
Ilustração Imagem Google
fonte: Youtube


PAGINAS SOLTAS


by Didileite
Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - De Entrega


by Didileite
Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - Chorar


by Didileite
Ilustração Imagem Google

ESPAÇO MPB - LINDA BORBOLETA


MÚSICA : Linda Borboleta
Autores: Alberto Ribeiro e João de Barros(Braguinha)
Gravação Carlos Galhardo

Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - Amar


by Didileite
Ilustração Imagem Google

CONTOS QUE TE CONTO - UMA VELHA CANÇÃO - 2a. Parte


CONTO
                        UMA VELHA CANÇÃO

                                                        2a.Parte

                                              .... continuação

Ela me disse que a Vanessa casou com um americano, se divorciou e está voltando para o Brasil. Cansou da América. 
- Teve filhos?
- Não. Era só ela e o marido. Mas já se divorciaram há muitos anos. A mãe dela morreu, ela veio aqui, ficou uns dias e depois voltou.   Agora, disse que quer voltar de vez para o Brasil.
- Como estará a Vanessa?  Será que envelheceu muito?
- Você ainda lembra dela, de vocês?
- Não. Lembrei agora, porque você está falando nela.
O almoço chegou. Almoçaram. Ainda conversaram mais um pouco, se despediram, com o compromisso de se verem na festa das bodas de Ronaldo  e Luciana.
Um bichinho mordeu a alma de Ronaldo. O resto da tarde ficou inquieto. A secretária avisou-lhe de uma reunião que ia haver às dezesseis e trinta, no oitavo andar.  Ele fez ar de enfado, mas disse à secretária que podia confirmar a presença dele.
Naquele dia, Ronaldo saiu na hora certa. Foi para casa. A Mulher não estava. Havia ido à ginástica.  Ele estava sozinho. Pegou uma dose de uísque e sentou-se na poltrona.  Bebia, lentamente, seu drinque e deixou livre seus pensamentos, que foram parar em Vanessa.  Ronaldo voltou ao passado e se viu jovem, amando  aquela  moça  tão  bonita,  inteligente  e    de personalidade tão marcante. Lembrou do seu sorriso, o quanto ela gostava de música...  Ronaldo levantou-se foi até a estante de CDs e procurou um CD.  Custou a encontrar.  Estava lá na última pilha, pegou-o e colocou-o para tocar. Sentou para ouvir, para degustar aquela música, a música deles, de Vanessa e ele. Os primeiros versos comoveram Ronaldo:
Foi bom ficar com você
O ano inteiro
Pode crer!
Foi legal te encontrar
Foi amor verdadeiro
É bom acordar com você
Quando amanhece o dia
Dá vontade de te agradar
Te trazer alegria...

Ronaldo ficou com os olhos cheios de água. Falou alto   o nome da mulher amada :  Vanessa!  
Ele sentiu vontade de repetir a dose de uísque, mas se conteve, pois lembrou que a última vez em que bebeu mais da conta, deu no que deu, e o resultado final foi aquele  ali: ele com uma família, mulher e filho.  Levantou-se e foi até a varanda, olhou o céu e seu coração estava angustiado, e no som a música continuava a tocar :

Quero ver você feliz...
Com você primavera,
Verão, outono ou inverno.
Nosso caso de amor tem sabor
De um sonho eterno...
Leva!
O meu som contigo, leva
E me faz a tua festa...


Ele estava emocionado e cheio de saudades. Como ele queria ver Vanessa agora!  Olhou para entrada do edifício e viu o carro do filho entrando na garagem.  Ronaldo correu e tirou o  CD, desligou o som, apagou a luz da sala e foi para a outra sala, ligou a televisão e ficou olhando sem ver nem entender o programa. 
Ouviu a mulher e o filho entrarem, Luciana foi logo falando:
- Ah! Você já está aí.  Poxa! Nem para ir me pegar na ginástica!
- Não combinamos que hoje eu a pegaria. Tive um dia cheio, reunião à tarde, estava louco para chegar em casa.

A mulher olhou para o marido e achou alguma coisa diferente, Mas não falou nada.  O filho perguntou por que não iam todos jantar fora?  O pai cortou logo a saída para jantarem fora:
- Hoje, não estou com vontade de sair para jantar.
                      
                                                         continua......

by Didileite
Ilustração Imagem Google

PENSAMENTO - De não ter para dar



by Didileite
Ilustração Imagem Google

POESIA - Saudades e Viver



DE SAUDADE E VIVER

A vivência  traz um sentimento
que pinga gostas de tristeza
na alma e no coração.
Os olhos teimam em buscar lágrimas,
que param num  olhar úmido.

É isso saudade?
Ausência do vivido
e do não vivido?
Saudade do que poderia ter sido,
mas nunca foi nem o mais
leve esboço de um sonho.
Mas também não houve sonho.

Coisa estranha!
Sentir saudade do que alguém viveu,
e esse alguém não foi você,
e nem alguém que se conheceu.

É pura nostalgia.
Alma cheia de sentimentos,
entre eles, essa tristonha
agonia.
Sentir saudades do viver
que não se viveu
nem em raros momentos. 

by Didileite
Ilustração Imagem Google 





terça-feira, 28 de outubro de 2014

PÁGINAS SOLTAS - Do Vento


Ilustração Imagem Google

PÁGINAS SOLTAS - DE AMOR





Ilustração Imagens Google

CONTOS QUE TE CONTO - UMA VELHA CANÇÃO -1a.Parte


CONTO
                          UMA VELHA CANÇÃO

                                                 1a. Parte

UMA VELHA CANÇÃO
  -  Inacreditável que você não queira ir à festa de despedida da Vanessinha!  Poxa, cara!  Vamos lá! Ela está indo para trabalhar na América.
- Não vou!  Não estou com vontade de ouvir aquelas conversas sobre as maravilhas que há nos Estados Unidos.
 - Besteira!  Ronaldo, vamos lá!  Há vários grupos e você se enturma num que não esteja falando da terra do tio Sam.
- Não adianta, Gustavo, eu não quero ir mesmo.  A Vanessa que vá, trabalhe e se dê muito bem.  Quer saber?  Tomara que ela conheça um americano, se  case e seja muito feliz.
- Isto está me parecendo dor de cotovelo.     Você não esqueceu dela.  Vocês terminaram o caso, mas você, ainda, de pensa nela.
- Eu?!  Mas nem pensar! Nosso caso ficou encerrado.  Eu já tirei isso da cabeça.  Agora, meu caso é a Luciana, é o filho que estamos esperando.
- Então, já não falo mais nada.  A Luciana se deu bem, ainda mais agora, grávida.  Por falar nisso, quando vocês vão casar?
- Não sei.  Ela também não está com pressa. Quer esperar  o Neném nascer.       Depois, preciso ver isso.
- Bem, cara, se você não vai mesmo, depois lhe conto como foi a festa.

Vanessa foi embora para os Estados Unidos. Ela e Ronaldo não se despediram.  Ronaldo aguardou a chegada do filho com expectativa.  A criança nasceu e era um lindo menino.  Recebeu o nome de Vicente.  Meses depois, Ronando e  Luciana casaram--se. Gustavo também casou-se com Paula, namorada dos tempos de faculdade. Eles tiveram duas filhas gêmeas. Nunca mais tiveram notícias de Vanessa.

                  Os anos passaram e lá se iam vinte e cinco anos desde  o dia daquela festa de despedida.  Ronaldo  nunca   mais falou em Vanessa.
Gustavo telefonou para Ronaldo combinando um almoço para aquele dia:
- Oi, cara! Vamos almoçar hoje?
- Hoje, não vai dar, Gustavo.  Tenho que  comprar uma roupa na hora do almoço.  Daqui a duas semanas faço vinte e cinco anos de casado.  Esqueceu?  Luciana marcou missa, quer dar um jantar, sabe como é...  Você recebeu o convite?  Você e a Paula vão, não é?
- Recebemos sim.  Claro que nós vamos. Mas e amanhã? Vamos almoçar, cara?  Botar nossas conversas em dia!
- Amanhã, tudo bem. Onde almoçaremos?
- Onde?  No nosso velho e bom restaurante. Amanhã,
podemos nos encontrar às onze e trinta, está bom para você?
- Tudo bem. Amanhã às onze e meia, lá no Casa de Sapê, como nos velhos tempo.
- Então até amanhã. Tchau!

 Os dois homens pediram uma mesa mais reservada no Casa de Sapê.  Cada um pediu uma dose de uísque.  Eles falaram do último jogo do time predileto de Ronaldo, depois falaram sobre as últimas notícias dos jornais. Em certo momento Gustavo perguntou a Ronaldo:
- Teu filho já está acabando a faculdade?
- Quase acabando, ainda faltam dois períodos. Vai se formar em jornalismo. E as tuas meninas?
- Ah! Elas são ótimas. Logo duas de uma vez só. Uma não quer saber de namoro, só pensa em estudar. A outra tenta  conciliar namoro e estudo. Mas vão bem. Não me dão trabalho.
- Poxa! Como o tempo passou! Parece que foi ontem que nossos filhos nasceram! A Luciana é que anda meia bombardeada. Agora, deu para ter umas tonteiras...
- Precisa ver isso, Ronaldo.  Ela já foi a um médico?
- Ainda não, quer deixar passar a festa das bodas. Disse que depois irá ao médico.
- Sabe com quem encontrei outro dia desses aí? Com a Clara. Lembra da Clara?  Aquela da turma de Direito, que sempre estava com a Vanessa, pareciam unha e carne.
- Ah! Sim, lembro dela.  Como ela está?

- Está bem. Trabalha numa multinacional, no departamento jurídico. Ela me disse que a Vanessa casou com um americano, se divorciou e está voltando para o Brasil. Cansou da América.  
                                                             continua... 

by Didileite
Ilustração Imagem Google